Como abrir um e-commerce: guia completo com passo a passo

Aprender como funciona um e-commerce pode não apenas abrir caminho para uma ideia promissora, como também eliminar mitos que hoje bloqueiam a jornada empreendedora de muitas pessoas. Por isso é fundamental saber como abrir um e-commerce.

Afinal, não é mais segredo que, ao longo dos anos, a forma de comprar e vender se transformou junto com as novas tecnologias. Hoje, as pessoas buscam novas formas de consumir e prezam muito por praticidade e segurança.

Comprar pela internet tornou- se um hábito cada vez mais comum entre os consumidores, tanto que o Brasil registrou no mês de dezembro de 2020 alta de 53,83% em vendas no e-commerce em relação ao mesmo período de 2019.

E não para por aí, o faturamento, considerando a mesma base comparativa, teve crescimento de 55,74%.

De acordo com a expectativa dos especialistas, as vendas do e-commerce no Brasil devem crescer 21% em 2021, atingindo um faturamento de R$110 bilhões, mantendo a força do setor e indicando uma consolidação das lojas e dos marketplaces.

Mesmo com tanta visibilidade, algumas pessoas ainda não sabem realmente o que é e-commerce e como usar a internet como um canal de vendas. Por isso, neste guia vamos esclarecer as principais dúvidas relacionadas ao assunto, trazendo dicas importantes para quem quer se aventurar no mercado e-commerce.

O que é e-commerce?

O termo e-commerce, ou “comércio eletrônico” em português, é a comercialização de produtos e serviços pela internet. As transações são realizadas via dispositivos eletrônicos, como computadores e smartphones.

Esse tipo de comércio pode contar com diversos canais de vendas. O mais conhecido é a loja virtual. Porém, também existem outros, como marketplaces, vendas nas redes sociais e até vendas por e-mail marketing.

Entretanto, vale salientar que o termo e-commerce se diferencia do termo “loja virtual”, uma vez que o segundo conceito se refere ao website ou plataforma de e-commerce em que os clientes adquirem os produtos, ou seja, é um dos canais do e-commerce. E como citado anteriormente, a loja virtual não é o único canal de vendas do comércio eletrônico.

Outro ponto em que as pessoas se confundem é sobre a diferença entre e-commerce e marketplace.

O marketplace é mais um canal de vendas online que, diferente de uma loja virtual própria, oferece produtos de várias empresas.

Agora que já ficou claro o que é o e-commerce e como ele tem se tornado popular no Brasil, vamos apresentar outras vantagens desse formato de negócio e como o empreendedor pode iniciar sua jornada por esse novo negócio.

Como funciona o e-commerce?

como abrir um ecommerce mão no celular

O funcionamento do e-commerce é como uma linha de produção. Trata-se de uma busca geralmente simples e satisfatória para o cliente. Desde que essa esteja organizada de forma clara e objetiva.

Uma loja do comércio eletrônico tem a mesma função de uma loja de rua: vender produtos. No entanto, isso é conduzido pelo computador ou smartphone, sem que exista uma interação direta entre o cliente e o vendedor. Uma loja virtual pode vender os mesmos produtos que uma loja física, como roupas, cosméticos, móveis, eletrônicos, entre outros.

Um dos pontos altos desse tipo de comércio é que o cliente não precisa reservar muito tempo do seu dia para ir até um shopping center e entrar em muitas lojas em busca de um item. A navegação online otimiza o tempo e confere conveniência ao processo de compra, que ocorre no ritmo do cliente.

Ou seja, no e-commerce os produtos estão anunciados em páginas, que funcionam como vitrines. Nele, são apresentadas imagens, vídeos, especificações técnicas e características como peso, dimensões e preço.

Numa loja virtual, o cliente pode adicionar um produto ao carrinho e continuar comprando ou seguir para o pagamento. Na hora de pagar, ele deve fazer um breve cadastro ou fornecer informações básicas, como nome, CPF e endereço de entrega. Dependendo do local, há a cobrança de frete, que é incluída à parte do preço dos produtos.

A escolha da forma de pagamento vem em seguida. Ao optar pelo cartão de crédito ou débito, as informações são transmitidas por uma rede segura, de modo a evitar fraudes. Depois, o cliente só precisa esperar para receber o pedido no endereço informado.

Como abrir uma loja de e-commerce?

notebook e produtos como abrir um ecommerce

Independente se você é consumidor ou empreendedor, saber o passo a passo para abrir um e-commerce é uma grande vantagem para fazer boas escolhas.

Essa tarefa deve ser feita com calma, para garantir a criação de uma loja que contemple todos os itens necessários e ofereça uma excelente experiência de compra aos clientes.

Defina seu produto

O primeiro passo é saber que tipo de produto ou serviço o empreendedor quer oferecer. Assim poderá estruturar a  marca e entender exatamente qual segmento e público atenderá.

Se você ainda não sabe por onde começar, a dica principal é iniciar com produtos leves e pequenos. Geralmente, eles têm logística fácil, simples manuseio, não ocupam muito espaço no estoque, possuem embalagem prática e conta com facilidade na hora de transportar.

Além disso, é importante que sua loja tenha personalidade e apresente o seu diferencial. Para ser competitivo é importante mostrar aos consumidores novidades, atendimento diferenciado e produtos de qualidade.

Outra questão fundamental é garantir que o produto escolhido trará renda para a empresa. E também que entregará a proposta e valor ao cliente.

Defina seu público

Com o produto definido, chegou a hora de descobrir o público. Essa definição é essencial por um motivo muito importante: ela é capaz de alavancar o empreendimento, permitindo que o empreendedor realize ações, principalmente de marketing, mais eficazes, pois são direcionadas para as pessoas realmente interessadas no  produto.

Na hora de definir o público-alvo do e-commerce é preciso considerar as seguintes informações:

  • Dados demográficos: idade, sexo, escolaridade, classe social e profissão;
  • Critérios geográficos: estado, zona (urbana ou rural) e região (litoral ou interior);
  • Informações comportamentais: gostos, aceitabilidade em relação ao preço e qualidade do produto;
  • Dados psicológicos: personalidade, estilo de vida e valores.

Para definir o público da melhor maneira, o ideal é que o empresário entenda bem o mercado do seu negócio, o nicho que está se inserindo, e tenha todas essas questões bem definidas. A partir disso a definição do público será mais fácil, as ações mais precisas e a aceitação mais positiva.

Escolha uma plataforma para e-commerce

Já sabemos que o comércio eletrônico tem crescido de forma cada vez mais acelerada. Diante desse cenário, escolher a plataforma de e-commerce ideal para o negócio é fundamental para não perder público para a concorrência.

Eleger a plataforma de e-commerce adequada pode fazer toda a diferença, não só no que diz respeito ao volume de vendas, mas também quanto à experiência do cliente e, em última análise, à credibilidade da sua marca no mercado.

Pensando nisso, selecionamos 3 características fundamentais para a escolha de uma plataforma e-commerce.

1 – Analise a ferramenta sob a ótica do usuário

Saber se a página carregou rápido, se o site é fácil de navegar e conta com layout personalizado e eficiente é essencial. Não se esqueça de conferir se a plataforma possibilita a utilização de diversos meios de pagamento.

Outro fator importante para uma boa percepção do usuário é que a plataforma tenha design responsivo. Não sabe direito o que isso significa? Confira o nosso artigo: Por que é importante ter um site responsivo? Conheça os benefícios para sua loja virtual.

2 – Verifique se ela é amigável para SEO

A sigla SEO indica a otimização de sites para ferramentas de pesquisa. Por meio das estratégias SEO as chances de que a sua página apareça bem posicionada em buscadores como o Google aumenta ou diminui. Por isso, é importante conferir as facilidades na alteração dos títulos das páginas, realização de redirecionamentos, integração ao Google Analytics e inclusão das tags canonicals.

3 – Pense nas particularidades do seu negócio

Considere as necessidades específicas do seu negócio na hora de escolher a plataforma. Tenha em mente que esses recursos são muito importantes e impactam diretamente na experiência do consumidor.

Registre o domínio

O domínio é um dos pontos principais de contato de um visitante com uma respectiva marca. Resumindo, ele é o nome que será utilizado para identificar e localizar o site do e-commerce.

Sendo assim, para um e-commerce esse registro é fundamental, já que ele resguarda a propriedade do endereço, que é o canal direto de acesso para os clientes e potenciais compradores.

Para evitar problemas, como o site sair do ar, por exemplo, o melhor caminho é registrar o endereço antes mesmo de inaugurar sua loja virtual.

O processo de registro do domínio para o e-commerce é bastante simples. Basta escolher o endereço, verificar a disponibilidade — nesse caso o empreendedor pode contar com a ajuda de alguns sites como Registro.br.

Com o “nome” o empreendedor registra o domínio escolhido e finaliza a compra daquela marca.

É importante dizer que ter um domínio próprio passa uma imagem de maior credibilidade e segurança, isso porque demonstra cuidado e profissionalismo.

Atenção com a segurança

Considerando que a proteção de um e-commerce é um dos aspectos que definem a experiência do cliente, selecionamos alguns pontos cruciais para que seu site ofereça um ambiente seguro para os usuários.

  • Use selos de segurança: eles são indicativos de que um site está sendo constantemente verificado por organizações específicas que trabalham na busca de vulnerabilidades virtuais.
  • Adote certificados de segurança: os certificados de segurança são tecnologias que protegem a comunicação entre o cliente e o servidor do site, de forma a garantir que a transação ocorra sem grandes riscos.
  • Use gateways de pagamento: essas aplicações cooperam ao se encarregar de gerenciar a finalização de uma compra, o checkout – momento em que os dados são digitados para que o cliente pague pelo que comprou.
  • Use plugins e recursos de segurança : eles oferecem diversas funcionalidades de uma maneira prática, como os filtros de acesso de um firewall e monitoramento de spams.

Estruture sua loja

Não basta criar um bom layout, preparar o estoque e começar a vender. A gestão no e-commerce é tão complexa quanto a de uma loja física. Portanto, é preciso alinhar de maneira inteligente todas as operações necessárias, montando um esquema de organização eficiente para todos os setores.

A sugestão é separar as diferentes atividades em departamentos específicos. Como por exemplo, a parte comercial, o setor financeiro, a área de compras, o estoque, a zona de expedição e as estratégias pós-venda. Isso porque, cada setor demanda um tipo de cuidado diferente.

A próxima etapa de como montar um e-commerce partindo do zero é organizar o espaço virtual:

  • Defina o tema do site;
  • Insira o logotipo da marca;
  • Faça uma descrição da empresa em uma página ‘Sobre’;
  • Identifique os canais de contato e destine uma página específica para isso;
  • Defina e evidencie as formas de pagamento
  • Crie uma área de destaque para banner. Ela será útil para divulgar promoções e lançamentos de novos produtos, por exemplo;
  • Crie categorias e adicione os produtos ao e-commerce.

Um site de e-commerce bem estruturado e seguro proporciona uma experiência ágil e agradável aos clientes.

Cadastre os produtos

O cadastro dos produtos é fundamental para aumentar as chances de vender.

Afinal, são as informações preenchidas no cadastro que estão diretamente relacionadas à conversão de vendas. Isso porque, a página do produto é o único meio que o consumidor tem para conhecer o que está comprando.

Manter o cadastro de produtos atualizado é fundamental para oferecer a melhor experiência possível ao consumidor.

É importante ressaltar que a otimização do cadastro de produtos no e-commerce é imprescindível para aumentar a confiabilidade na hora de realizar uma compra.

Por meio dele é possível organizar o menu de categorias pelo qual o consumidor consegue navegar entre as seções do e-commerce.

Além disso, é possível manter o título chamativo e a descrição clara o bastante para que o consumidor entenda todas as características antes de comprar o produto.

Um cadastro de produtos bem feito pode deixar sua página bem posicionada no Google. Além de ser útil para descrever seu produto para o cliente que só vai poder senti-lo na hora da entrega.

Configure opções de pagamento

A definição das formas de pagamento do e-commerce é determinante para gerar mais vendas no mundo virtual. Os consumidores devem ter diferentes opções, com vantagens que facilitam na hora da compra.

Enquanto isso, o empresário fica atento à saúde financeira do seu comércio, para que o negócio seja vantajoso para ambos.

Pensando em facilitar a escolha dos gestores em relação à disponibilidade de formas de pagamento, listamos as principais opções para oferecer na sua loja:

  • Cartão de crédito e débito;
  • Boleto bancário;
  • Transferência online;
  • Carteiras digitais (conhecidas como e-wallets);
  • Troca de milhas;
  • Visa Checkout ou Masterpass.

Também é possível contratar o apoio de um processador de pagamento, como o PayPal e o PagSeguro.

Essas ferramentas recebem os dados de pagamento do cliente, contata as empresas de cartão de crédito e bancos, processa o pagamento e confirma que o empresário pode liberar o pedido. Depois o valor pago cai na conta bancária.

Atenção ao Checkout

O abandono de carrinho é um dos principais problemas enfrentados pelos gestores de um e-commerce. A taxa média de abandono do carrinho de compra no Brasil é de 82%.

Entre as causas que fazem o consumidor desistir da compra está exatamente o processo de checkout complexo, que solicita um número exagerado de informações e deixa seus clientes cheios de dúvidas.

Por isso, é importante facilitar o checkout e pedir apenas informações que serão realmente utilizadas para a entrega e processo de pagamento.

Ou seja, além de variedade nas formas de pagamento e fretes com valores que agradam o cliente, ofereça simplicidade. Essas atitudes afetam diretamente as taxas de conversão de vendas.

E caso algum cliente tenha abandonado o carrinho, o empreendedor pode solicitar que a equipe de marketing entre em contato com o cliente por meio de campanhas de e-mails marketing, SMS ou chatbot, estimulando que ele volte e conclua sua compra.

Se o objetivo é melhorar esse índice, o ideal é investir mais atenção nesse processo final de compra. Torná-lo mais rápido e eficiente contribui para que o cliente faça negócio.

Marketing da loja virtual

O Marketing Digital é sem dúvida a grande fonte de novos consumidores para uma loja virtual. Por isso, após as etapas listadas acima, o empreendedor precisa de um planejamento de marketing para e-commerce.

Entre as ações de marketing para e-commerce mais comuns estão:

  • Conteúdo;
  • Redes sociais;
  • Google Ads;
  • E-mail Marketing.

Em um mercado cada vez mais concorrido, as empresas têm buscado inúmeras maneiras de se diferenciar, se conectar com os consumidores e fidelizar seus clientes. Por isso, é muito importante ter uma boa estratégia de marketing.

Apareça nas buscas

Estar bem posicionado no Google e outros buscadores pode influenciar positivamente a sua empresa. Afinal, muitas pessoas usam essas plataformas para encontrar o que precisam, clicando apenas no que interessa para elas.

Por esse motivo, é importante ter estratégias para que seu site fique bem posicionado em páginas de pesquisa para caso alguém procure pelo produto ou serviço que você oferece.

Estar bem posicionado significa ter o seu site listado entre os primeiros resultados de uma determinada pesquisa.

Posto isto, vale a pena investir em publicidade no Google para melhorar seu posicionamento e atingir seus clientes no momento ideal.

Preste um bom atendimento e suporte

Depois de trazer as primeiras visitas e vendas, o gestor vai precisar se preocupar com o suporte desses clientes. Tanto no pré-venda quanto no pós-venda.

Se você está começando agora, é provável que você mesmo vá fazer o suporte, diretamente.

Já em um momento mais propício, em que a empresa contará com uma equipe, ferramentas mais sofisticadas serão bastante importantes para trazer eficiência.

Quais os benefícios de abrir um site de e-commerce?

Vender pela internet é vantajoso, em primeiro lugar, porque é possível diminuir custos. Afinal, não é preciso, necessariamente, manter uma loja física — basta ter um ambiente para estocar produtos e despachar os pedidos.

O investimento para montar uma loja virtual é consideravelmente inferior ao necessário para uma loja física em um bom ponto comercial, como um shopping, por exemplo.

Com isso, o empreendedor lucra até mesmo quando está descansando ou passeando, pois a sua vitrine está aberta 24h e todos os dias da semana.

Também é uma forma de ficar atualizado com as novas necessidades e de gerar conforto para os clientes.

Além disso, todos os resultados podem ser analisados, como o número de visualizações de um produto ou abandono de carrinho, e usados para orientar futuras decisões.

Por fim, é válido salientar que 80% da população da web já fez uma compra online. E esse número tende a crescer. Ou seja, o e-commerce atrai clientes de todos os lugares do mundo, facilitando a venda de um produto.

Conclusão

como abrir um ecommerce pessoa tirando foto

Como vimos ao longo do texto, pode-se esperar que o  crescimento do comércio eletrônico continue acelerado. Com a mudança de comportamento de consumo e cada vez mais dispositivos móveis sendo utilizados, os números tendem a ganhar ainda mais força.

Logo, se você pensa em navegar nessa onda de crescimento, abrir uma loja no formato e-commerce é bastante promissor.

De fato as vantagens de se vender ou comprar por meio do e-commerce são inúmeras. Além da praticidade, conforto e rapidez nas compras, o consumidor tem diversas opções, facilidades de pagamento e preços mais baixos. E quem vende conta também com custos menores e otimização das operações, além de ter boas oportunidades de vendas.

Mas para isso é preciso adotar um posicionamento estratégico eficiente, a fim de atender os consumidores que preferem comprar pela internet. Por isso o empreendedor deve ficar atento a esse novo perfil do cliente virtual se quiser que seu e-commerce seja visto em meio a esse mar de informações da internet.

Pensando em otimizar os resultados e na administração do seu e-commerce a BigShop traz as melhores soluções do mercado para empresas de todos os portes.

São mais de 10 anos de experiência em comunicação e vendas on-line. Por isso, a BigShop reúne especialistas com expertise no assunto, que atuam em análises de dados profundas, expandindo a visão dos gestores sobre a estratégia do seu e-commerce.

Há muitas boas razões para começar um negócio de comércio eletrônico. Se você está interessado em ser seu próprio gestor e vender produtos pelos quais é apaixonado, contar com uma empresa especializada é algo que vale a pena considerar.

Se você deseja acelerar o processo, entre em contato com a BigShop e agende uma consultoria para que possamos ajudar você a iniciar um negócio de sucesso!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *